sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Postado por umalguém às 20:36:00
Reações: 
as últimas noite têm sido completamente vazias sem nada; sem o brilho do luar sem o encanto dos teus olhos, e isso dói, muito. me tirasse as forças ... ou quem as tirou fui eu mesma? no dia do tchau, te deixei e fiquei me decompondo a sós sentindo o triste gosto amargo de ter tido que escolher ter tido a responsabilidade de decidi sobre qual caminho seguir ... admito que hoje, me vejo tonta zonza, perdida louca por ti, mas com uma escolha feita, escolha essa que machuca, mas faz com que nos imponhamos perante nossos fiéis desejos. Não pense que não te desejo ainda, porque desejo ou que não penso, não sinto falta, saudade das risadas, as palhaçadas, porque sinto. E muita. Mas enfim, a tua escolha não foi eu, assim como a minha foi, então, nada me basta, se não te deixar. A vida segue a cada dia, a dor se apaga a cada segundo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Acho que não devemos depositar nossas expectativas de felicidade e realização nos outros. Ninguém é de ninguém, digo, não no sentido promíscuo, mas real. Para sermos felizes não precisamos de ninguém além de nós mesmos... É clichê, eu sei, e as vezes até me pego tentando convencer a mim dessa realidade, mas é real. Se arrepender das decisões tomadas faz parte do amadurecimento, apostar nossas fixas em uma pessoa que não corresponde é burrice. Lutemos para conquistar alguém que nos valorize plenamente, que não veja só a beleza do corpo e sim da alma. Alguém que nos transborde em todos os sentidos ;)

Anônimo disse...

- Ah! - disse.

Acordei bem hoje. Nem parece a mesma que varou a noite chorando e ouvindo Marcelo Camelo, lembrando de cada momento

Eu não acho que devia ser assim. Num mundo que eu queria, eu teria passado a noite conversando contigo a sós.. rindo da minha esquisitice como fazíamos.. lembra?

Então, eu dormiria lembrando de ti, teria uma bela noite de sono e só acordaria com o bip do celular: "Bom dia! Tá na hora de acordar, preguiçosa. Vens pra cá hoje, né? :3".

Mas não rolou... Bom! Deixa assim. A escolha não foi minha, mas precisei tomar uma decisão. Ou quer que fique à mercê da tua vontade? Não! Preciso de um destino, ainda que não seja o mais querido.

Eu sei que não será fácil e que, talvez, caia na tentação de te dar outra chance.. Mas, sinceramente, não será definitivo. Já percebi que não é pra ser e se não é, não é. Quem sou eu para brincar com a vida?

Eu sinto saudade já. E sinto, pois não quis nada disso. Tudo aconteceu... e precisei tomar uma decisão. Bom, estou me repetindo.

A vida segue, a dor vai se apagando, há quem diga e veja só... Já estou até sorrindo.

Postar um comentário

 

rubber soul Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos